Pesquisa

MAIS LIDOS
50 milhões de anos no Cabo Mondego
  O Cabo Mondego constitui o maior afloramento do Jurássico…
Caminho do Xisto das Aldeias de Góis
Chegados a Aigra Nova estacionámos junto ao Núcleo da Coirela…
Os 5 Blogues mais influentes de Coimbra
As Minhas Receitas, de Joana Roque Joana Roque é um…
Coimbra 4 Kids
A fama de cidade universitária e intelectual de Coimbra é…
Praia Fluvial N. Sr.ª da Piedade
A Praia Fluvial da N. Sr.ª da Piedade é o…
Praia de Buarcos
O amanhecer devolve-nos os rochedos e o areal que a…
Praia Fluvial de Palheiros e Zorro
Entre Coimbra e Penacova, em pleno maciço marginal de Coimbra…
Praia de Mira - A melhor praia do mundo
Desde há 30 anos que a Praia de Mira recebe,…
O maior e mais luminoso areal
Localizada em plena cidade da Figueira da Foz, a Praia…
Rituais do Doutoramento Honoris Causa
O grau de Doutoramento Honoris Causa surge publicado, em 1918,…
O "Mata-Frades"
Quem chega a Coimbra, pela Ponte de Santa Clara, é…
Centro Doc. 25 de Abril
O Centro de Documentação 25 de Abril (CD25A) é uma…
Academia Briosa
“Briooooosa!” – ouve-se o grito nas bancadas dos jogos de…
Os Herdeiros da Praxis Cervejeira
  Antiga Cerveja de Coimbra O Legado     Em…
Leprosaria Nacional Rovisco Pais
  Em 1938, perante a rápida evolução da Doença de…
Siga-nos no Facebook

Newsletter

Última edição (n.º 17)


Edições Anteriores
Newsletter n.º 16
Newsletter n.º 15
Newsletter n.º 14

Barrigas de Freira

 

As "Barrigas de Freira" são um doce conventual cuja génese nos é difícil apurar, perante tantas versões provenientes dos conventos de todo o país. Nas diferentes receitas do doce, encontramos quase sempre a trilogia “amêndoas-ovos-açúcar” e, frequentemente, canela. A versão mais popularizada em Coimbra contém, além dos outros ingredientes, doce de gila, tornando o recheio rico e de textura aprazível.

O caso das Barrigas de Freira poderá refletir a quebra do sigilo sobre os receituários ao qual as freiras estariam obrigadas, assim que entravam nos conventos. Cada convento guardava a sua propriedade doceira como o seu maior tesouro, sendo que algumas receitas eram transmitidas oralmente, de forma a evitar a sua divulgação. Por este motivo, muito do património doceiro não terá chegado aos nossos dias já que muitas das receitas desapareceram com a morte das últimas freiras dos conventos.

Para a evolução do receituário conventual terão contribuído as mulheres que entravam no convento e muito interessavam ao desenvolvimento do mesmo – meninas nobres e de boas famílias, herdeiras solteiras, filhas segundas e viúvas ricas - não só pelo dote e pela proximidade ao rei, mas também pelas tradições gastronómicas e receitas que trouxeram consigo e que enriqueciam, em várias vertentes, o património do convento que as acolhia.

Deixe um comentário

Siga-nos no Instagram

Siga-nos no Facebook

PRÓXIMOS EVENTOS

Agenda

loader

Bem-vindo a Coimbra

You must have the Adobe Flash Player installed to view this player.