Pesquisa

MAIS LIDOS
50 milhões de anos no Cabo Mondego
  O Cabo Mondego constitui o maior afloramento do Jurássico…
Caminho do Xisto das Aldeias de Góis
Chegados a Aigra Nova estacionámos junto ao Núcleo da Coirela…
Os 5 Blogues mais influentes de Coimbra
As Minhas Receitas, de Joana Roque Joana Roque é um…
Coimbra 4 Kids
A fama de cidade universitária e intelectual de Coimbra é…
Praia Fluvial N. Sr.ª da Piedade
A Praia Fluvial da N. Sr.ª da Piedade é o…
Praia de Buarcos
O amanhecer devolve-nos os rochedos e o areal que a…
Praia Fluvial de Palheiros e Zorro
Entre Coimbra e Penacova, em pleno maciço marginal de Coimbra…
Praia de Mira - A melhor praia do mundo
Desde há 30 anos que a Praia de Mira recebe,…
O maior e mais luminoso areal
Localizada em plena cidade da Figueira da Foz, a Praia…
Rituais do Doutoramento Honoris Causa
O grau de Doutoramento Honoris Causa surge publicado, em 1918,…
O "Mata-Frades"
Quem chega a Coimbra, pela Ponte de Santa Clara, é…
Centro Doc. 25 de Abril
O Centro de Documentação 25 de Abril (CD25A) é uma…
Academia Briosa
“Briooooosa!” – ouve-se o grito nas bancadas dos jogos de…
Os Herdeiros da Praxis Cervejeira
  Antiga Cerveja de Coimbra O Legado     Em…
Leprosaria Nacional Rovisco Pais
  Em 1938, perante a rápida evolução da Doença de…
Siga-nos no Facebook

Newsletter

Última edição (n.º 17)


Edições Anteriores
Newsletter n.º 16
Newsletter n.º 15
Newsletter n.º 14

Tecelagem de Almalaguês

Tecelagem de Almalaguês - A fibra de um povo


Não sabemos ao certo a partir de quando terá surgido a tecelagem em Almalaguês. Sabemos sim que a matéria-prima necessária – o linho – era fornecida pelos campos em volta, o que terá permitido o seu desenvolvimento enquanto atividade económica.

O dom de “tecer” foi, durante séculos, transmitido por gerações de mulheres. Assim como as amostras, os desenhos em quadrículas, as “dobadoiras”, os “caneleiros” e as estruturas dos teares em si. Há até todo um vocabulário próprio em torno da tecelagem que só as tecedeiras dominam.

Tecer tem também uma componente social – as mulheres ajudam-se no momento de colocar o “órgão”, tecem em conjunto, partilham as suas obras e inspiram-se. É um trabalho exigente e complexo, na compreensão e reprodução de desenhos, pontos e padrões mais ou menos geométricos, na minúcia e precisão das laçadas, na preparação física que a postura e o jogo de pedais requerem. Mas é também um trabalho criativo, em que cada tecedeira exprime a sua linguagem.

Seremos audaciosos ao dividir a tecelagem de Almalaguês em “popular” e “fina”. Uma tradicionalmente mais humilde, que utiliza fio de algodão ou fibras sintéticas, com colorido exuberante (sobretudo os tons ocres), e desenhos de símbolos populares portugueses (emblemas dos clubes de futebol, galo de Barcelos) ou motivos florais. Outra mais elegante e cuidada (na foto), em que predominam os brancos e madrepérolas, pontos pequenos em linho ou lã, com desenhos sóbrios e minimalistas.

Seja de que tipo for, comprar uma peça de tecelagem com o selo de Almalaguês, é como comprar uma obra de arte. É adquirir um produto nobre e valioso, que tende a ser cada vez mais raro. É valorizar também a sabedoria e fibra das mulheres que dali retiraram sustento, poder e auto-estima, e que transformaram a aldeia no maior centro nacional de tecelagem.

Deixe um comentário

Siga-nos no Instagram

Agenda

loader

Bem-vindo a Coimbra

You must have the Adobe Flash Player installed to view this player.