Buracas do Casmilo: O Segredo da Sicó

 

Em plena Serra do Sicó (concelho de Condeixa-a-Nova), num percurso longo e sinuoso, encontramos o Vale das Buracas do Casmilo – o maior conjunto de buracas de todo o país.

Para lá chegar, aconselhamos ir a pé ou usar um todo-o-terreno (tratando-se de estrada em terra batida, poderá sofrer alterações do seu estado ao longo do ano devido a chuvas e alagamento de terras, pelo que terá de tomar as devidas precauções se quiser mesmo ir de carro até ao local).

O melhor trajeto será provavelmente aquele que fizemos, de acordo com os conselhos preciosos dos moradores de Quatro Lagoas, uma aldeia próxima das Buracas.

Partindo do IC2 (sentido Lisboa-Coimbra), saímos para a aldeia de Furadouro e subimos pela EM609.

Subimos, subimos, subimos. As casas deram lugar às oliveiras. As oliveiras deram lugar a uma pedreira envolta numa nuvem de pó. São cerca de 10km sempre a subir. Até que avistamos Casmilo, uma pequena aldeia no cimo do Sicó que em tudo se assemelha a qualquer outra aldeia, excepto o facto de ser tão remota – algo desconcertante para quem chega da cidade. Um cesto de basquete na garagem de uma casa denuncia a presença de crianças. Uma pequena capela que ocupa o lugar central da aldeia parece ser usada todas as semanas. Um homem de barba a quem chamamos “Hipster do Casmilo”. Afinal não há nada para temer, estamos em plena civilização! Voltemos ao caminho…

A partir do Casmilo existem placas que indicam o sentido “Buracas”. Até aí não encontrámos nem uma, mas ainda bem – há segredos que devem ser mantidos a todo o custo.

Atravessamos a Sicó, ladeados pela Senhora do Círculo (“Esta terá que ficar para outra altura!” - combinámos) e a Serra de Janeanes, até que, sem aviso prévio, como numa montanha russa, começamos a descer. A descer quase tanto quanto subimos. Descemos vertiginosamente até sermos totalmente engolidos pelo vale - o Vale das Buracas do Casmilo.

Vimos as Buracas ao longe que nos esmagaram com a sua beleza e imponência. Fazem-nos sentir pequenos e com um friozinho na barriga. Algumas delas têm mais de 10 metros de diâmetro. O seu processo de formação ainda não é claro para os especialistas, que apontam diferentes explicações para a sua origem. Estes "buracos" formados ao longo de milhares de anos terão servido de abrigo para o homem e para os seus animais, em determinados períodos da história, segundo apontam alguns estudos arqueológicos.

Aqui a natureza encontra-se em estado puro, sem sinais da presença do homem, um reduto geológico. A paisagem é caracteristicamente mediterrânica, seca e inóspita, marcada pelas oliveiras, grutas e nua.

As únicas pessoas que poderá encontrar por estes lados serão amantes da escalada que procuram estas escarpas para desafiarem a gravidade, ou pastores guardando rebanhos de ovelhas e cabras. De resto, as Buracas do Casmilo serão maravilhosas só para si.

 

  

 

   

 

  

 

 

Junte-se a nós no Facebook.
Subscreva a Newsletter - envio mensal.
Agora também presentes no Instagram.

Ler 2511 vezes

Deixe um comentário

PRÓXIMOS EVENTOS

siga-nos no facebook

Siga-nos no Instagram

Pesquisar

Atividade no Facebook