PRÓXIMOS EVENTOS

21Jan.
Dom. 21/01 15:00 - 17:00
Braga B x Académica - jornada 21
29Jan.
10Mar.
Sáb. 10/03 08:00 - Dom. 11/03
Festa do Queijo de Oliveira do Hospital

siga-nos no facebook

Siga-nos no Instagram

quarta, 16 dezembro 2015 10:14

Entrar em MMXVI no HD | Duecitânia Design Hotel


Localizado em Penela, o HD | Duecitânia Design Hotel convida-nos a um Programa de Ano Novo à boa maneira romana, ou não fosse este o povo responsável pelas comemorações do Ano Novo no dia 1 de Janeiro.

 

Veni, Vidi, Vivi

“Chegar, Ver e Viver” é o mote daquele que é o primeiro hotel temático da região. Não obstante a sua inspiração na Antiguidade Clássica, o Hotel é recente e comemora este mês 3 anos de existência.

Foi no espaço de uma antiga fábrica de papel e fio de lã, que se deu a junção entre o design atual e a inspiração clássica. O resultado despontou numa visão contemporânea de Roma, na desconstrução dos símbolos do Império e na recriação de novas formas de o viver e sentir.

O facto de se encontrar fora dos grandes centros urbanos, é a sua maior vantagem, tornando-se num retiro na natureza e cultura. A partir de Coimbra, a viagem demora cerca de 30 minutos, e pelo caminho vamos deixando para trás as Ruínas de Conimbriga, uma paisagem de pinheiros mansos aveludados, e o Castelo da Vila de Penela, até descermos ao vale do Rio Dueça.

 

O Hotel dos 8 Elementos

Sendo o octógono um dos símbolos de perfeição utilizados pelo povo romano, também do HD | Duecitânia Design Hotel se destacam 8 elementos diferenciadores: o Hotel Design, o Restaurante Gustatio, o Bar Tabernae, o Spa Aqua Vénus, o Rio Dueça, os Produtos Endógenos, o contexto histórico-arqueológico, e a visão sustentável de futuro.
 


O Hotel Design procurou manter-se fiel à arquitectura inspirada na Villa Romana do Rabaçal, adaptando-a a modelos modernos de design, sem descurar o passado do edifício enquanto fábrica de papel e lanifícios. As linhas são geométricas e minimais, os materiais nobres como os mármores e as pastilhas de vidro, as cores fortes e imperiais – o vermelho, o preto, o cinza e o dourado.

Na recepção, somos desde logo cativados pelo majestoso painel de pequenos mosaicos vindos de Itália, cheio de apontamentos e simbologia histórica, bem como pela imponente Coluna de Trajano.
 


Em cada piso, uma fase do Império Romano – a sua formação, o seu apogeu e, finalmente, a sua decadência.

No 1º piso, a cor predominante é o imperial vermelho bordeaux, em associação com o período de franca expansão da agricultura e agro-pecuária, utilizando o porco e a pinha como símbolos principais.
 


No 2º piso, os anos áureos do Império são representados pelo cinza e dourado, as cores do exército e do ouro, e o símbolo escolhido é o busto do Imperador Nero.
 


Por último, no 3º piso, o declínio da civilização romana surge-nos, paradoxalmente, em tons de verde esperança. Aqui a simbologia é abstrata e fragmentada, anunciando o fim de uma era.
 



Em todos os quartos, as casas de banho estão decoradas com padrões de constelações, evidenciando a forte ligação dos romanos à astronomia.
 

No Restaurante Gustatio, podemos esperar uma fusão entre a gastronomia romana e regional. As especialidades da casa são Dourada Lucrino, Pato de Apicius e Naco do Rabaçal. A acompanhar, como um bom romano, vinho aromatizado Encosta da Criveira ou hidromel Lu Citânea.
 


O Bar Tabernae, outro dos conceitos diferenciadores do HD | Duecitânia Design Hotel, é um dos espaços reminiscentes da antiga fábrica, onde existia uma máquina a vapor e uma nora. Transformado à semelhança de um templo romano, o Tabernae recebe muitas vezes concertos de música ao vivo.
 


O Spa Aqua Venus constitui uma reinvenção dos Thermae romanos. Sob a égide da deusa do amor e da beleza, aqui podemos usufruir de massagens e envolvimentos (como a “Tríade de Junho” e o “Mediterrâneo”), duches e banhos, sauna e jacuzzi.
 


A natureza é o leit motif que envolve todo o Hotel, desde o Rio Dueça que aqui corre e que empresta o nome ao hotel (“Due”+”Citânia” – “Terras do Dueça”), ao bosque circundante.
 


A entrada para o hotel dá-se por uma ponte sobre o Rio Dueça, e não é por acaso – os romanos foram pioneiros na construção de pontes sobre os rios.
 



Nos jardins frescos, passeiam póneis e cavalos, e terá sido, segundo a mitologia romana, o cavalo alado Pégasus que com um coice deu origem à Fonte de Hipocrene, ali no centro do jardim.
 



Apesar do frio, a Piscina Biológica seduz-nos a mergulhar com os seus tons de azul real e verde menta. As águas do Dueça fazem um movimento contínuo de decantação por dois lagos adjacentes, coroados de rosmaninhos – uma das ervas aromáticas preferidas dos romanos.
 

No HD | Duecitânia Design Hotel, os produtos endógenos são cuidadosamente valorizados, quer em fins decorativos, em souvenirs, na confeção dos pratos ou no spa. A região de Sicó é generosa para com o hotel, assim como já o era no tempo dos romanos, fornecendo mel, azeite, ervas aromáticas, vinho, nozes e, o famoso queijo da região - o Queijo do Rabaçal. É tido como certo que o azeite aqui produzido seria exportado para Roma, nos tempos do Império.
 

A sustentabilidade é uma das preocupações do hotel, que prevê a construção de um projeto de Quinta Biológica que albergará animais e que fornecerá o próprio hotel e restaurante. Para além disto, a muito curto-prazo será produzido azeite a partir das oliveiras existentes na propriedade da “Quinta da Fábrica”, e a mata envolvente será preparada para a prática de trilhos.
 

O contexto de vestígios da cultura romana na região de Penela e arredores favorece e reforça a existência deste hotel temático. O Museu e Ruínas de Conimbriga, a Villa Romana do Rabaçal, e um pouco mais distante, o Museu Nacional de Machado de Castro, são locais de visita essencial para complementar a estadia e viagem histórica que o HD | Duecitânia Design Hotel proporciona.

 

Programa de Ano Novo

 

Menu do Jantar de Gala



Consulte os pacotes e condições aqui.

 

Reservas:

reservas@duecitania.pt

www.duecitania.pt

Telm. +351 939 499 559 Telf: +351 239 700 740 Fax: +351 239 700 741

Ponte do Espinhal | 3230-292 Penela | Portugal

 

Como chegar:

Vindo do Porto (ou de Lisboa), sair na A1 para Condeixa e entrar na A13 até à saída para Penela.

Vindo de Lisboa, poderá ainda optar pelo trajeto mais curto, saindo na A1 para a A23 sentido Torres Novas e na A23 sair para a A13 sentido Tomar/Coimbra. Seguir na A13 até à saída Penela.

Coordenadas GPS: 40º 01' 23.1'' N, 8º 22' 28.3'' W

 

Roteiro turístico complementar:

Penela Presépio na Vila de Penela

Museu e Ruínas de Conimbriga

Villa Romana

Castelo do Germanelo

Cascata da Pedra da Ferida

Serra de Sicó

Queijarias do Rabaçal

Museu Nacional de Machado de Castro

 

 

Deixe um comentário

Pesquisar

Atividade no Facebook

Agenda

loader